terça-feira, 4 de maio de 2010

A TEOLOGIA DA PROSPERIDADE E SEUS ABSURDOS

Essa teologia tem chegado cada vez mais a absurdas declarações, e as mais espúrias inovações, e por fim as mais irreverentes práticas – a sua sobrevivência depende disso.

É tão perniciosa que sempre tem que inovar para parecer teologicamente pura e atraente. Sua fonte, por si só, já é totalmente perniciosa, visto esta ser o anseio do homem de ter e ter. Ela é uma teologia (?) que enaltece o esforço humano: “planta e colherás”, “dá e será dado”, “semeia e terá em abundância”. Por mais que se esforce em ajustar os seus pressupostos a inerrante Palavra de Deus jamais conseguirá, pois é e sempre será uma teologia falsa, espúria, humana, diabólica, distante da revelação divina.

A última inovação é que semeando certa quantia em dinheiro, será garantido a você que “será salvo tu e a tua casa”. Acrescenta-se a isso um determinado tempo para o cumprimento, ou melhor, para a colheita do que fora plantado.

A Bíblia, a Palavra de Deus, não determina tempo para o cumprimento de tal e tal promessa, ou que dando hoje a certo tempo estarei com a benção nas mãos. Alguém pode objetar que Deus deu tempo a Abraão, mas não sejamos ignorantes, o tempo que Deus deu Abraão foi o tempo do nascimento de Isaque a partir do momento em que Ele confirmava a promessa de um filho – e o tempo de uma gravidez é nove meses.

Por outro lado o tempo da salvação para o pecador é sempre Hoje (Hb 3:7,13). A salvação é unicamente por meio da graça pela fé em Cristo (Ef 2:8,9), qualquer valor em dinheiro como garantia de que dentro de tal tempo será salvo, torna o Evangelho fraco e dispensável, além de propor uma justiça própria. Infelizmente os judeus tentaram fazer isso (veja Gálatas e Romanos); e é o que as mais diversas religiões fazem.

É fácil de combater tal ensino ou teologia confrontando-a com a inerrante Palavra de Deus. Infelizmente muitos crentes dão mais ouvidos ao que ‘grandes homens’ estão dizendo do que ao puro leite racional (I Pe. 2:1-3).

Enquanto Jesus ordenou a pregação do Evangelho para a salvação dos pecadores (Mt. 28:19,20), os propagadores dessa perniciosa teologia da prosperidade chegaram a aberração de anular a ordem de Jesus, propondo ofertas financeiras para a salvação. Precisa-se dizer algo mais?! Ficaremos com a Palavra ou com a sabedoria do sábio-segundo-o-mundo?

Isso é uma afronta ao Evangelho e ao sacrifício de Cristo. Rejeite!

Em Cristo

AWF

2 comentários:

francisco disse...

tem um video no youtube que chama esses caras de cafetoes ja viu ? cafetoes da prosperidade!


www.exejegues.blogspot.com

Adriano Wink Fernandes disse...

Francisco,
Grato pela sua participação.
Não vi o vídeo. Mas o que estamos vendo a cada dia é um verdadeiro descalabro para com o verdadeiro Evangelho.
Precisamos estar sempre posição de defender o Evangelho com as armas poderosas em Deus.

Adriano